O que é Retrofit na arquitetura? Veja seu significado e benefícios

Essa técnica popular na Europa é responsável por aprimorar construções já existentes. O Retrofit pode até mesmo modificar o uso do prédio. Dessa forma, ele pode ser visto em intervenções na iluminação de edifícios históricos ou outros empreendimentos. 

Assim, é muito comum observar tapumes que cobrem a obra completamente. Após serem removidos, você se depara com a mesma fachada, porém com um toque mais contemporâneo. Por isso, o retrofit personaliza a construção, mas sem perder seus toques especiais

Segundo a Associação Brasileira de Normas Técnicas, a definição mais específica é: remodelar ou atualizar edifícios e sistemas, usando a incorporação de conceitos atuais e novas tecnologias. Para isso, o objetivo é valorizar o imóvel, mudar de uso, aumentar sua vida útil, além de melhorar a eficiência energética e operacional da construção.

Então, conheça mais sobre essa proposta que está cada vez mais em alta no Brasil. Basta continuar a sua leitura!

O que é retrofit e o que significa na arquitetura?

Retrofit é uma prática na construção sustentável que trabalha com a revitalização de edifícios antigos e históricos. Essa intervenção na construção civil ajuda a ter uma edificação mais moderna, mantendo suas características originais. Assim, em português pode ser traduzido por “modernização” ou “reconversão”.

Ebook do Retrofit: saiba tudo sobre essa tendência na arquitetura. Baixe agora!

Sendo assim, há uma atualização, customização, adaptação ou requalificação de uma obra, que já não se adéqua à atualidade. Com isso, a ideia é criar mudanças e integrar melhorias em fachadas, na forma de consumo ou mecanismos internos. Logo, destacando um alto padrão do empreendimento.

Então, algumas modificações possíveis são a atualização do sistema de ar-condicionados, projetos luminotécnicos diferenciados, proteção contra dificuldades meteorológicas etc 

Reforma, Restauração ou Retrofit? Entenda as diferenças

A preocupação em um retrofit é manter as características originais do projeto, mas deixar a obra mais sustentável e funcional para o tempo atual. Já em uma reforma, isso não é necessário, com maior liberdade para modificações. 

Fora isso, o retrofit costuma ser mais caro, uma vez que precisa de atenção maior aos materiais e mão de obra especializada. 

Já uma restauração valoriza ainda mais a questão histórica do prédio. Assim, esses traços podem ser identificados como representativos da época em que foram elaborados. Em um retrofit, a modernização é apreciada e procurada, sem grandes dificuldades.

Como surgiu o conceito de retrofit?

O costume surgiu na Europa, também sendo muito difundido nos Estados Unidos. Dessa maneira, o retrofit vem como uma proposta crescente ao observar os edifícios históricos que precisam de revitalização.

Esse melhoramento vai além da questão estética, já que também é importante atender à legislação e regras de segurança. Com tudo isso, ainda é possível preservar o acervo e ter uma arquitetura contemporânea nesses locais. 

Sendo assim, o retrofit surge como uma forma para cuidar do patrimônio histórico, oferecendo toques atuais, mas sem comprometer a memória do edifício. Ao considerar isso, quanto mais antigo o prédio for, mais complexo e caro será o processo de remodelagem. 

Tendo isso em vista, em certos casos o retrofit tem um custo econômico mais alto do que a reconstrução de um edifício novo. Contudo, o incentivo para a modernização nessas situações acontece pela preservação e pelo valor cultural do conjunto. 

Quais são os benefícios para imóveis?

O benefício principal do retrofit é proteger a história que uma construção traz. Assim, também faz parte da arquitetura sustentável, já que evita a derrubada completa do edifício, mas investe em uma modernização.

Além disso, ao passar por esse processo, o imóvel também ganha maior valorização. Por isso, o proprietário é beneficiado, ao aumentar o preço de venda desse bem. Já a sociedade pode contar com um projeto eco-friendly e que guarda as lembranças de épocas marcantes. 

Outras vantagens são a diminuição de gastos com água e luz, atendimento às normas de segurança atuais e aumento da possibilidade de uso do local. Com isso, é possível utilizar fontes de energia mais limpas e reduzir em até 40% as despesas com eletricidade. 

Soluções práticas podem ser a instalação de uma película com proteção solar, para evitar o excesso de aquecimento em uma área. Há também a possibilidade de substituir lâmpadas antigas pelos modelos LED e com sensores de movimento. Essas são apenas algumas opções tratadas em um projeto sustentável aplicando o retrofit. 

Veja 3 exemplos de projetos incríveis de retrofit no Brasil

O Brasil também é um dos países que aderiu à inovação apresentada pelo retrofit. Em diversas construções históricas é possível ver as transformações e modernizações trazidas pela técnica. Então, conheça 3 locais famosos que passaram pela remodelagem. 

1. Edifício Galeria, Rio de Janeiro

O processo de retrofit do Edifício Galeria, no centro do Rio de Janeiro, foi realizado de 2009 a 2011. A empresa responsável pelo processo é a Tishman Speyers. A construção é da época de 1930, precisando de muitas melhorias. 

Assim, a proposta foi trazer novas instalações hidráulicas, elétricas e na questão das telecomunicações. Essas mudanças possibilitaram a instalação de empresas de grande porte, tornando o local um dos melhores edifícios comerciais da cidade. 

Entre as modificações estão: restauração das fachadas; reforço das colunas, estruturas e fundações; remodelagem total da parte elétrica; acesso fácil para pessoas com deficiência e implantação de elevadores modernos, além de um sistema de ar-condicionado mais eficaz. 

2. Edifício Martinelli, São Paulo

Com a assinatura de Paulo Lisboa, o Edifício Martinelli, no centro histórico de São Paulo, também passou por modificações. A construção foi inaugurada em 1929, sendo tombada como patrimônio histórico. 

Após o processo, ela se tornou a Secretaria Municipal de Licenciamento. Dessa forma, foram preservados as suas dimensões e fachadas. 

Então, o projeto contou com sistemas de climatização, espaços integrados, estruturas de cabeamento, qualificação dos pavimentos e iluminação renovada. Assim, a construção foi adaptada para funcionar no modelo de trabalho atual. 

3. Pinacoteca do Estado de São Paulo

O projeto da Pinacoteca de São Paulo foi realizado por Paulo Mendes da Rocha. A construção original é do fim do século XIX. Dessa forma, a intenção foi melhorar o edifício para poder operar de forma segura e sustentável. 

Nisso foram vencidos obstáculos como: vazios internos, umidade, planta original rígida, além do comprometimento do plano de acesso pelas áreas ao redor. Portanto, a solução foi manter a construção original e suas fachadas externas foram preservadas, mas contando com um toque moderno.

Com isso, algumas modificações foram: renovação da rede elétrica; reforço na estrutura dos pisos; nova espacialidade na parte interior; inclusão de elevadores para ter uma acessibilidade melhor e vidros com o objetivo de captar a iluminação natural.

Gostou de conhecer mais sobre essas obras revolucionárias no Brasil? Como você pode perceber, o retrofit é uma técnica muito útil para modernizar uma construção, sem perder seu valor histórico-cultural. Por isso, é um ótimo investimento para manter as memórias locais sempre vivas. Você está procurando imóveis em Porto Alegre? Visite a Bridge e encontre seu imóvel ideal!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *